Livro para ensinar a ler pessoas com dificuldades lançado em Vila Verde

A encerrar a semana dedicada à pessoa com deficiência, foi lançado, em Vila Verde, um livro que promete iniciar um percurso novo junto de pessoas com deficiência ou idosos que não saibam ler. ‘Histórias Comidas. Eu Consigo!’ é um projeto de Mi Martins desenvolvido no complexo de Vila Verde da APPACDM, apresentado hoje, no salão nobre da autarquia, numa sessão abrilhantada pelos alunos da Academia de Música de Vila Verde.

“O livro surgiu da necessidade de encontrar alternativas às palavras escritas, para que pessoas que não tenham acedido à aprendizagem formal da linguagem escrita sejam capazes de descodificar a história do livro ‘lendo’ desenhos de cada palavra ou ação”, explicou a autora na apresentação. Por isso, cada desenho foi adaptado à palavra, criando oportunidades de acesso à leitura.

Apresentando por Pedro Seromenho, o livro é considerado “um projeto inovador, um objeto magnífico que não pode ser visto de forma estanque” e “é o resultado de um processo de resiliência e perseverança de pessoas que nunca desistem” e que dizem “eu consigo”.

“O que é preciso mais no mundo é ler, mas não só palavras também um sorriso, um gesto, uma paisagem, o mundo”, referiu ainda o escritor “maravilhado” com um objeto que ajuda “a ler quem nunca leu. Quem não lê vê o mundo pequeninho”.

A presidente da câmara de Vila Verde salientou o caráter universal da publicação: “é um livro para todos os que não sabem ler, independentemente da sua idade. É um livro inclusivo, com uma metodologia nova para ensinar aqueles que não tiveram oportunidade para aprender a ler ou não o conseguem fazer por diferentes motivos”.

Júlia Fernandes espera que “o livro chegue a todas as instituições do concelho porque só assim é que faz sentido”. Financiado pelo projeto ‘Cultura Para Todos’, ‘Histórias Comidas’ está disponível para oferta.

Paralelamente, os utentes da APPACDM de Vila Verde desenvolverem, em gesso, a ‘Maria’, a mascote do livro e que, segundo o presidente da APPADCDM de Braga, António Melo, “se poderá tornar a mascote do complexo de Vila Verde”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *