DestaqueVILA VERDE

Paróquia de Santa Maria de Duas Igrejas acolheu este domingo uma relíquia do beato Carlo Acutis.

Foi num ambiente de festa, perante uma multidão de fiéis, na sua maioria jovens, que este domingo, a paróquia de Duas Igrejas, em Vila Verde, entronizou solenemente a relíquia de primeiro grau do beato Carlo Acutis.

A cerimónia foi presidida pelo Arcebispo Emérito de Braga, D. Jorge Ortiga, acompanhado pelo pároco da paróquia, padre Manuel Rodrigues e pelo padre Rui Araújo, que acompanhou um grupo de jovens de Arco do Baúlhe, arciprestado de Cabeceiras de Basto.

No período da manhã houve um encontro, onde estiveram presentes mais de 100 crianças e jovens, das paróquias de Duas Igrejas, Azões e Goães, com o catequista Ricardo Eiras, dos pouco portugueses presentes na beatificação do Carlo Acutis, em outubro de 2020, que, para além de resumir a história do beato Carlo Acutis, falou especialmente da sua devoção pessoal e das suas presenças em Assis, local onde Carlo está depositado. Foi ainda visualizado um vídeo que a mãe do Carlo Acutis, Dona Antónia, enviou propositadamente para a cerimónia de entronização da relíquia.

Às 16h00 deu início a celebração da missa de entronização, cantada pelo grupo coral da paróquia e com a participação massiva dos jovens e dos escuteiros da paróquia. D. Jorge Ortiga, na sua homília, teve o beato Carlo Acutis como tema central. Pegou na história de vida do Carlo Acutis e de como se pode atingir a santidade levando uma vida completamente normal. Curiosamente, o Arcebispo Emérito, falou da sua visita recente a Assis e da visita que fez ao túmulo do Beato Carlo Acutis. Dirigiu-se aos jovens para seguirem o modelo de santidade do Carlo Acutis, “vi um jovem como estou a ver muitos de vós, de jeans, ténis, camisola de desporto, mas tinha uma particularidade, que além da paixão pelos computadores, era amante da Eucaristia, rezava o terço, ia a missa diariamente e era amigo dos pobres”.

Referiu, ainda, “que esta relíquia, assim como as imagens dos santos, não seja apenas objetos nas igrejas. É preciso parar e olhar para a relíquia e pensar que ali está cabelo de um jovem que é beato porque a sua intercessão resultou em milagres, e ao olhar para a relíquia lembremos da vida santa que ele escolheu e viveu”.

Depois da comunhão deu-se a tão esperada entronização da relíquia. A relíquia, que já tinha sido introduzida num relicário de ouro, pelas mãos do Arcebispo Emérito, foi colocada num altar feito propositadamente para o efeito. Depois foi incensado e lido um texto de agradecimento por tão grande bênção, causando muita emoção nos presentes.

Já no fim da cerimónia, formou-se uma enorme fila para verem e tocarem na relíquia do beato Carlo. Foi neste momento que muitos prostrados no chão e de lágrimas no rosto veneraram a relíquia do jovem beato.

Estiveram presentes devotos de vários pontos do país, como Lisboa, Caminha, Guimarães, Santa Maria da Feira, Porto, Maia, Braga, Ponte de Lima, Cabeceiras de Basto, Famalicão, Barcelos, Valongo, Arcos de Valdevez, entre muitos outros locais. Muitos grupos de jovens de várias paróquias e agrupamentos de Escuteiros marcaram presença e quiseram associar-se ao momento emocionante e único, estar diante de uma relíquia de um jovem que eles seguem e que é patrono da Jornada Mundial da Juventude Lisboa.

O sentimento de “coração cheio” era a expressão mais ouvida, pelo emocionante momento e pela união dos jovens que se notou nessa tarde.

O altar com a relíquia do beato Carlo Acutis está junto ao altar-mor na igreja paroquial para veneração pública. Quem quiser pode ir à igreja, mas a paróquia aconselha que comuniquem antecipadamente as visitas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *