Restauração do Norte recebeu 184 milhões de apoios e tem quebras de 90%

A restauração do Norte recebeu 184 milhões de euros de apoios para combater a crise devido à covid-19, que provocou quebras até 90% em 2020 e 2021, anunciou hoje a Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Em declarações à Lusa, o presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins avançou que a região Norte entregou um total de 15.400 candidaturas — 11.400 candidaturas ao programa Apoiar e 4.000 à linha de microcrédito do Turismo de Portugal -, que resultaram num total de 184 milhões de euros entregue aos empresários da restauração da região Norte.

No âmbito das candidaturas ao programa Apoiar a nível nacional registaram-se 48 mil candidaturas que resultaram num valor entregue de “521 milhões de euros”, onde o” Norte teve 11.400 candidaturas e resultou num valor entregue de 149 milhões de euros”.

No âmbito da linha de microcrédito do Turismo de Portugal foram registadas, a nível nacional, “mais de 13.800 empresas” candidaturas que resultou num valor entregue de 113 milhões de euros. (…) Se falarmos da região Norte foram quatro mil candidaturas, e 35 milhões de euros entregues”, acrescentou Luís Pedro Martins.

“O Norte encabeçava esta ‘pool’ de regiões no número de pedidos de apoio, mas também no valor conseguido (…), uma prova da grande força que tem o setor da restauração na região Norte”, observou o presidente da TPNP.

Luís Pedro Martins alertou que o primeiro trimestre de 2021 uma “catástrofe” para o setor da restauração, com quebras de receitas na ordem dos 90%.

“Em 2021, as quebras foram muito maiores, porque os números que tivemos de alguma simpatia em 2020 foram devidos a dois meses muito importantes, que foram janeiro e fevereiro. Em janeiro [de 2020] crescíamos 15% acima do período homólogo de 2019 e em fevereiro [crescíamos] 22%. Ora, em 2021 não tivemos nem janeiro nem fevereiro, portanto este primeiro trimestre foi uma catástrofe”.

Para combater as quebras, o presidente da TPNP revela que vão existir campanhas dirigidas aos turistas nacionais em primeiro lugar e só depois para o mercado espanhol, que é o principal emissor turístico para a região nortenha.

Hoje arranca a terceira fase do desconfinamento em Portugal, que permite ao setor da restauração regressar a alguma “normalidade na sua atividade” e em “segurança máxima para os clientes”.

O presidente da TPNP fez hoje um apelo e um convite aos turistas nacionais que possam frequentar sem preocupações os restaurantes da região, referindo que o setor está “100% preparado”.

Portugal inicia hoje a terceira fase do desconfinamento com a reabertura de mais escolas, lojas, restaurantes e cafés, um levantamento de restrições que não é acompanhado nos 10 concelhos onde a incidência da covid-19 é maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *