Adelino Sousa vai ser o novo Provedor do Idoso do Município de Amares

Adelino Sousa, ex-presidente da Junta de Freguesia de Goães, vai assumir funções como Provedor do Idoso do Município de Amares, substituindo a enfermeira Gracinda Faustino neste trabalho de proximidade, proteção e segurança para com os seniores do concelho.

Para a Vereadora da Ação Social, Cidália Abreu, “a enfermeira Gracinda fez um trabalho extraordinário enquanto Provedora do Idoso. Aliás, trabalho esse que já vinha fazendo há muitos anos de forma totalmente voluntaria, apenas lhe foi acrescentado o título de “Provedora do Idoso”. Muito obrigada pela sua capacidade de entrega em prol dos que mais precisam”, sublinha.

“O Sr. Sousa, um homem lutador e constantemente empenhado no bem comum, autarca durante décadas, fundador da Casa do Povo do Vale do Cávado, vai assumir agora o cargo de Provedor do Idoso. O Concelho de Amares ficar-lhe-á também muito grato pela sua disponibilidade imediata em abraçar uma causa tão nobre.

Quase a cessar funções, Gracinda Faustino diz que fica com “um sentimento de dever cumprido”. “Foi um trabalho muito gratificante lidar com os idosos do Concelho de Amares e as instituições que me acolheram com muito carinho”, confessou Gracinda Faustino. “Foi muito bonito a passar a mensagem de que eram pessoas muito úteis na sociedade porque eram grandes enciclopédias, porque tinham histórias de vida lindíssimas, e porque deram muito de si. Sabe-me a muito bom estes 4 anos”.

O futuro Provedor do Idoso espera estar à altura deste desafio e não desiludir ninguém. “Pelo menos tudo farei nesse sentido. Tenciono trabalhar em prol dos idosos e penso que a minha experiência nessa área me faz reunir as condições para agarrar este projeto. Além disso, tenho muito carinho pelos idosos”, referiu.

Amares foi um dos concelhos pioneiros neste projeto de empreendedorismo social
O Presidente da Comissão de Proteção do Idoso, Carlos Branco, lembrou que Amares foi um dos primeiros concelhos a aderir à figura do Provedor do Idoso e fez um balanço positivo dos quatro anos de mandado que agora cessam.
“Durante este tempo estivemos numa fase experimental, havia um conjunto de ações que tiveram de ser reformuladas fruto da pandemia e este próximo mandado consiste em aprofundar e reforçar o papel do provedor do idoso na comunidade”, explicou.

“O trabalho da enfermeira Gracinda foi excelente. Ela começou a desbravar todo o terreno, embora já fosse conhecedora da realidade local, e conseguiu um trabalho inexcedível no apoio que deu aos idosos”, acrescentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *