Amares passa a concelho em alerta por causa da Covid-19

O concelho de Amares foi colocado, hoje, em alerta pelo Governo por causa dos casos Covid-19. Para esta situação contribuiu o facto do concelho não ser considerado de baixa densidade, o que faz com que o rácio seja de 120 casos por 100 mil habitantes. Já Vila Verde e Terras de Bouro, por exemplo, como territórios de baixa densidade, este rácio é de 240 por 100 mil habitantes.

Uma análise à lista divulgada pelo governo, pode-se verificar que, praticamente todos os concelhos do Distrito de Braga, estão inseridos numa das três categorias (as exceções são Vila Verde, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Cabeceiras de Basto).

Famalicão é o único em risco muito elevado. Já Braga, Barcelos, Guimarães, Fafe e Vizela estão em risco elevado.

Na lista de concelhos em alerta, e para além de Amares, estão Celorico de Basto, Esposende e Póvoa de Lanhoso.

No briefing que se seguiu ao Conselho de Ministros, o Governo apresentou a nova organização dos concelhos tendo em conta o nível de risco relativo à Covid-19. Mariana Vieira da Silva começou por explicar que Portugal está numa situação em que o “vermelho” da matriz de risco está “menos denso”.

São 29 os concelhos que estão em situação de alerta; 55 os em risco elevado – eram 44 há uma semana – e 61 os concelhos de risco muito elevado – eram 46.

Esta semana “não serão alteradas” quaisquer regras – o Executivo já tinha afirmado que está agendada para dia 27 uma reunião com especialistas no Infarmed explicitando que, até lá, não tomaria qualquer outra decisão.

Há, assim, 116 concelhos em risco elevado e muito elevado (90 na semana anterior), onde são necessários, por exemplo, os testes para entrar em restaurantes às sextas à noite, sábados, domingos e feriados e é obrigatório o recolher às 23h00.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *