UMinho recebe “Prémio Ciência e Academia” da Quidgest

A Universidade do Minho foi distinguida com o “Prémio Ciência e Academia”, atribuído pela tecnológica portuguesa Quidgest, no âmbito do seu 12º Congresso Anual Q-Day, em Lisboa. O galardão valoriza estudos desta academia relacionados com o software Genius da Quidgest, incluindo análises de produtividade.

O prémio foi recebido por João Varajão, professor da Escola de Engenharia da UMinho, em representação do vice-reitor para a Investigação e Inovação, Eugénio Campos Ferreira.

“A UMinho está muito grata por este reconhecimento, que reflete uma cooperação de três anos no domínio do ensino, investigação e divulgação, realizada em especial no âmbito das atividades do Departamento de Sistemas de Informação” (DSI), referiu na cerimónia.

Neste contexto, foi criada a unidade curricular de Modelação e Geração Automática de Software, que inclui formadores da Quidgest, servindo o mestrado integrado em Engenharia em Gestão de Sistemas de Informação e o mestrado em Sistemas de Informação.

“Esta unidade curricular optativa, focada em desenvolvimento low code (quasi no code), complementa a formação dos nossos estudantes”, frisou João Varajão. Na sessão, agradeceu ainda o empenho de João Paulo Carvalho, Álvaro Damas, Carlos Costa e demais colaboradores da Quidgest nas diversas iniciativas, que incluem webinars, talks e ações de brainstroming.

“Este é mais um elemento importante do esforço de inovação realizado na UMinho no contexto do ensino em tecnologias e sistemas de informação, especialmente no desenvolvimento organizacional com base em tecnologias da informação”, referiu por seu turno o diretor do DSI e professor catedrático João Álvaro Carvalho. O docente sublinhou a importância deste paradigma de produção de software e o seu impacto na gestão de projetos de sistemas de informação no futuro.

Nascida em 1988, a multinacional Quidgest é pioneira na modelação e geração automática de software com base em inteligência artificial, contando com clientes reconhecidos. A próxima grande revolução da indústria do software deverá ser liderada por ferramentas que multiplicam a produtividade de profissionais desta área.

A Escola de Engenharia da UMinho quer estar na linha da frente em termos de know-how técnico-científico, diretamente ligada ao mercado e procurando desmistificar o papel da nova geração de software developers nas empresas e instituições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *