Asteroide com 300 metros não se aproximará da Terra nos próximos 100 anos

O asteroide Apophis, descoberto em 2004, tem mais de 300 metros de diâmetro e pesa 41 milhões de toneladas. Tem sido motivo de preocupação e interesse dos especialistas da NASA nos últimos 15 anos, tendo sido calculado risco de aproximação para 2029 e, depois, para 3036, algo que agora é descartado.

A agência espacial norte-americana (NASA) indicou, na sexta-feira, que o asteroide 99942 Apophis não deverá aproximar-se do planeta Terra nos próximos 100 anos, pelo menos. A rocha, com um diâmetro estimado entre 320 a 340 metros e um peso de 41 milhões de toneladas, tem sido motivo de preocupação para os cientistas nos últimos 15 anos.

Apophis, batizado com o nome da divindade egípcia do mal e da escuridão – ‘Lorde do Caos’ -, foi descoberto em 2004 e depressa se tornou motivo de especulação e preocupação. Inicialmente, os cientistas calcularam uma probabilidade de 2,7% de uma colisão catastrófica do Apophis com a Terra em 2029. Depois, após nova avaliação, a data foi projetada para 2036, tendo afastado, porém, qualquer chance de impacto com o planeta Terra nas duas datas. As estimativas também apontaram uma aproximação perigosa em 2068.

Agora, novas observações determinaram que a hipótese de colisão é nos próximos tempos é inexistente, tendo o asteroide sido removido da lista de risco da NASA.

Davide Farnocchia, especialista neste campo de estudo da NASA, indicou, em comunicado, que “um impacto em 2068 já não existe no reino das possibilidades e os nossos cálculos já não mostram risco de impacto durante, pelo menos, os próximos cem anos”.

Os cientistas foram capazes de refinar a observação à órbita do asteroide em torno do Sol graças a imagens de radar captadas no início deste mês, quando este passou 17 milhões de quilómetros de distância da Terra.

Ainda assim, o Apophis vai passar a 32 mil quilómetros da Terra a 13 de abril de 2029, numa oportunidade única de observação para astrónomos. Trata-se, afinal, de 1/10 da distância da Lua e é mais próximo do que os satélites de comunicação que orbitam o planeta, a 36 mil quilómetros de distância.

“A aproximação do Apophis, em 2029, vai ser uma oportunidade incrível para a ciência”, disse, em 2019, Marina Brozović, que usa os radares do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA para observar objetos próximos da Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *