Atriz Beatriz Batarda e bailarino Romeu Runa juntos no palco do CCVF em Guimarães

Teatro e dança encontram-se no palco do Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) a 14 e 15 de maio com Perfil Perdido, do encenador e cineasta Marco Martins sobre filiação e a figura do pai, criada para dois intérpretes (Beatriz Batarda e Romeu Runa) e uma voz.

Partindo da representação da figura do pai enquanto elemento central da arte ocidental e da domesticidade enquanto estaleiro, os dois protagonistas percorrem a vida de várias personagens, outros eus, criando relações e cruzamentos inesperados – não têm idade nem género ou corpo definido, transmutam-se entre si, criando mundos fugazes e fragmentados. Na sexta-feira, 14 de maio, Perfil Perdido apresenta-se às 19h30, e no sábado, dia 15, assume o palco pelas 11h00.

Ao convocar um trabalho de improvisação que tem como base o fluxo de memórias pessoais de Beatriz Batarda e Romeu Runa, Marco Martins cria um espetáculo em que os vários excertos de textos usados são simultaneamente uma reconstrução, mais ou menos verdadeira ou falsa da biografia dos seus intérpretes, do que foi vivido ou talvez fantasiado, e também testemunhos diretos de outros autores – como Kafka, Bacon, Sófocles, Siri Hustvedt, Peter Kubelka, Gonçalo M.Tavares, William Shakespeare ou Édouard Louis – sobre as suas relações com a autoridade paterna

A obra nasceu da ideia de criar um espetáculo para a atriz Beatriz Batarda e o bailarino Romeu Runa, e da vontade de Marco Martins trabalhar o tema da filiação e da figura do pai.

Perfil Perdido parte da relação pai-filho para abordar questões como o género, a filiação, a domesticidade, a animalidade e a humanidade, a nossa condição de ascendência e descendência, entre muitos outros sentidos possíveis que o espetáculo gera a cada apresentação.

Representa também o regresso de Marco Martins, Beatriz Batarda e Romeu Runa a Guimarães e ao Centro Cultural Vila Flor, após passagens de sucesso com espetáculos como A conquista do Pólo Sul, As Criadas, Actores, Operários, The Old King, entre outros.

Marco Martins, encenador e cineasta premiado, revela uma extensa obra no campo do cinema, teatro e artes plásticas e dirige, juntamente com Beatriz Batarda, o Arena Ensemble, uma plataforma destinada ao desenvolvimento de projetos artísticos que tem vindo a crescer desde 2007 e serve de espaço de encontro entre os dois artistas, à medida que exploram os seus percursos individuais, revelando uma preocupação comum pelo risco e pela experimentação na procura de novas práticas teatrais e interpretativas.

Nos últimos anos, grande parte do trabalho deste grupo tem sido uma mistura provocatória de pontos de referência aparentemente contraditórios, cruzando géneros que vão desde o teatro, à dança e à performance, através de inúmeras colaborações com diversos artistas.

Perfil Perdido é uma coprodução d’A Oficina com a Arena Ensemble, S. Luiz Teatro Municipal, Teatro Nacional S. João e Cine-Teatro Louletano e teve a sua estreia mundial em novembro do ano passado, na Turquia, no âmbito da 23.ª edição do Festival de Teatro de Istambul.

A sonoplastia é de Tiago Cerqueira, a cenografia, de Fernando Ribeiro, o desenho de luz, de Nuno Meira, o desenho de som, de Sérgio Milhano, e o figurino, de Teresa Pavão.

Os ingressos para assistir ao espetáculo são reservados a maiores de 14 anos de idade e encontram-se disponíveis pelo valor de 7,5 euros ou 5 euros com desconto nas bilheteiras dos equipamentos culturais geridos pel’A Oficina – Centro Cultural Vila Flor, Casa da Memória de Guimarães, Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Loja Oficina – ou online em www.aoficina.pt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *