Câmara PS de Melgaço ignora o seu próprio vereador e três do PSD

“Os melgacenses foram surpreendidos com a distribuição, nas suas caixas de correio, de um infomail emitido pelo município, supostamente a informá-los da composição dos órgãos autárquicos. Constata-se, surpreendentemente, que o órgão Câmara Municipal aparece composto apenas por três elementos, o presidente e os dois vereadores com pelouros, omitindo-se os restantes quatro vereadores em regime de não permanência e que também compõem aquele órgão, três dos quais eleitos pelo PSD e um pelo próprio PS”, criticou Manuel Fernandes, presidente da concelhia social-democrata de Melgaço.

“Não se logra compreender a necessidade da dita informação (tanto quanto sabemos inédita) quando é certo que as listas com os candidatos aos diversos órgãos autárquicos, assim como os resultados das últimas eleições autárquicas, são públicos e foram publicitados, quer em listas disponíveis para consulta pública e na comunicação social, quer em cada uma das assembleias de voto”.

Com tal infomail, ao qual a senhora Presidente da Mesa da Assembleia Municipal se associou, a Câmara Municipal, ao fazê-lo como fez, apagando quatro dos seus membros, está, mais do que a omitir, a mentir aos melgacenses”, acusou, ainda, o social-democrata.

“Mas mais: a Câmara Municipal não quis informar coisa alguma. Visou apenas, usando o dinheiro público de todos nós, promover e exaltar os eleitos do PS nos órgãos autárquicos e, assim, promover os membros socialistas na Câmara Municipal e também os membros socialistas na Assembleia Municipal, destacando estes últimos (e apenas estes, sublinhe-se) a negrito”, denúncia Manuel Fernandes.

Assim “perdeu-se a vergonha” e a concelhia do PSD “reprova e repudia, de forma veemente, esta prática, que nos faz recordar a estalinista, do apagamento, e exige que a verdade seja reposta acompanhadamente de um pedido de desculpas públicas aos melgacenses e aos eleitos apagados”.

A concelhia “não pode deixar de exigir, ainda, que o responsável por esta proeza restitua, do seu próprio bolso, a quantia despendida pelo Município de Melgaço com a lamentável publicação”, concluiu Manuel Fernandes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.