DestaqueVILA VERDE

Projeto ‘TREVO’ do Centro Social do Vale do Homem recebe Menção Honrosa e Prémio

O projeto “TREVO – Tratar, Revitalizar, Empoderar & Viver Origens” do CSVH foi distinguido com uma Menção Honrosa e Prémio no valor de 2.500€, na 12ª edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto, iniciativa da MSD Portugal. Esta iniciativa distingue projetos sociais e inovadores que trabalham, de facto, a responsabilidade social.

O projeto TREVO, tem como principal foco o apoio a idosos e pessoas socialmente vulneráveis (pessoas com deficiência e incapacidade, risco de pobreza e isolamento, exclusão social), tendo sido financiado pelo parceiro ATAHCA – PDR2030 e premiado pelo BPI RURAL|Fundação La Caixa 2021.

Para o Presidente do CSVH, Jorge Pereira, “esta menção honrosa enche-nos de orgulho, bem como o prémio atribuído a este projeto que ajuda sempre no desenvolvimento do mesmo. O projeto TREVO trata-se, efetivamente, de um projeto diferenciador na área da agropecuária, que alia a sustentabilidade ambiental à estimulação sensorial dos utentes do CSVH, e, que ainda verte a sua intervenção na integração socioprofissional de pessoas com deficiência. É um projeto que agrega em si os diferentes objetivos de desenvolvimento sustentável preconizados pela ONU”.

O projeto TREVO terá impacto na comunidade no ponto de vista da sustentabilidade ambiental, da economia e do social, sendo um projeto que provém e assenta numa política da economia circular. Jorge Pereira reitera ainda que “o projeto gera impacto ao nível da sustentabilidade ambiental pelo facto de ser aplicado no modelo circular da agropecuária, que resulta do paradigma da sustentabilidade económica e ambiental. Tem influência na economia do CSVH, porque permite a produção de bens alimentares que serão consumidos pela instituição e, consequente, redução na faturação de produtos hortícolas, promovendo uma alimentação saudável e biológica”.

Prevê-se que este projeto tenha impacto a nível social proporcionando um envelhecimento positivo, bem como a capacitação e integração das pessoas de grupos vulneráveis da comunidade e a criação de um espaço agrícola que fomentará a produção alimentar reduzindo a escassez de bens essenciais para as famílias carenciadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *